.

Caso Marielle: PSOL diz que informação que envolve Bolsonaro é "gravíssima"



O PSOL disse, em nota oficial divulgada na noite de hoje, que é "gravíssima" a informação de que um dos suspeitos pela morte de Marielle Franco teria tido entrada autorizada por Jair Bolsonaro (PSL) em seu condomínio em 14 de março de 2018, no dia do assassinato da vereadora.

"A informação veiculada pelo Jornal Nacional desta terça-feira é grave. Segundo ele, horas antes do crime que vitimou nossa companheira Marielle Franco, um dos assassinos, Élson Queiróz, esteve na casa do então deputado federal Jair Bolsonaro. A informação foi obtida através do depoimento do porteiro do Condomínio Vivendas da Barra, onde vivia a família Bolsonaro", diz a nota do PSOL.

"Exigimos esclarecimentos imediatamente. O PSOL nunca fez qualquer ilação entre o assassinato e Jair Bolsonaro. Mas as informações veiculadas hoje são gravíssimas. O Brasil não pode conviver com qualquer dúvida sobre a relação entre o presidente da República e um assassinato. As autoridades responsáveis pela investigação precisam se manifestar. Exigimos respostas. Exigimos justiça para Marielle e Anderson [Gomes, o motorista da vereadora]", completou o texto.

A nota do partido foi assinada por Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL. De acordo com o "Jornal Nacional", a simples citação ao nome do presidente Jair Bolsonaro pode levar o caso a ser investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), devido ao foro por prerrogativa de função.
Caso Marielle: PSOL diz que informação que envolve Bolsonaro é "gravíssima" Caso Marielle: PSOL diz que informação que envolve Bolsonaro é "gravíssima" Reviewed by Noticias Online on 30 outubro Rating: 5
Tecnologia do Blogger.